O sentido da comunicação

Foto por Alex Andrews em Pexels.com

A etimologia da palavra comunicação vem do latim “comunicare”, que significa colocar em comum. A comunicação é um processo inato, pois desde o nosso nascimento nos comunicamos primeiro por meio de nossos gestos, nossos movimentos (comunicação não-verbal) e, depois, gradualmente, por meio da fala e das palavras (comunicação verbal).

E a distorção entre atitude e fala é bem óbvia. Deseja ter credibilidade? Primeiro seja você mesmo. Enquanto se adapta, finesse, ao seu interlocutor. Ter boas maneiras na comunicação ultrapassa a palavras bonitas, mas envolve o cuidado com o outro, sobretudo com o que se diz para poder viver bem em sociedade. Algumas coisas que as vezes pode fazer você pensar que está sendo educado ou divertido, talvez brincalhão fora de hora, na verdade são falsos bons modos.

Seja educado e respeitoso, ter decência significa que existem regras de educação a serem observadas em determinadas situações. É a prova de que você é uma pessoa bem comportada. Respeitar as pessoas é uma atitude que toca o nosso interior para que sejamos vistos como pessoas. Se você sabe demonstrar respeito, também acredita na dignidade e valor de cada ser humano, independentemente de seu comportamento.

Todos nós temos uma vida real, o que resulta em encontros, assim, pesquisando Martin Buber que se dedicou em parceria com Franz Rosenweig (1885-1929) à tradução da Bíblia hebraica para o alemão, ele disse que “no começo está o relacionamento”.

Isso quer dizer que o princípio do ser humano é em essência um homo dialogus, que somos incapazes de  nos realizar sem comungar com a humanidade, com a criação e com o Criador, pois o amor à humanidade conduz ao amor a Deus e vice-versa. A Presença divina participa de cada encontro autêntico entre os homens e habita aqueles que estabelecem um verdadeiro diálogo, como bem contextualizado por ele:

“O celeste e o terrestre estão ligados um ao outro. A palavra de quem deseja falar com os homens sem falar com Deus não se cumpre; mas a palavra de quem deseja falar com Deus sem falar com os homens se perde”.

O diálogo é baseado na reciprocidade e na responsabilidade. A responsabilidade existe apenas onde há uma resposta real à voz humana. No Talmud da tradição judaica encontramos regras de boa educação para que haja reciprocidade: dar um sorriso para a abertura de uma boa comunicação, cumprimentar as pessoas, não falar gritando e dirigir-se ao próximo com gentileza.

Saber se expressar corretamente é saber, principalmente, manter a simplicidade. Sem palavras ofensivas, sujas ou gírias. Se você quer se expressar, tenha um domínio perfeito da gramática e da fala. O segredo para conseguir isso? Leia livros clássicos que irão lhe revelar tudo o que você precisa saber sobre comportamento, e, principalmente, a Bíblia. Já quanto aos de autoajuda abandone rapidamente, pois só trazem fórmulas prontas que no final irão trazer tédio para uma vida vazia, assim você poderá se cultivar sendo curioso e atento a uma boa leitura, tornando-se uma pessoa sábia.

A empatia está no cerne da boa comunicação, se você é atento ao que o outro fala, de forma profunda e desinteressada, sem tentar causar influencia na conversa, significa estar totalmente presente, e, realmente, é alguém que sabe ouvir as reais necessidades do outro. Sincronizar as suas atitudes com as atitudes da pessoa com quem você está estabelecendo uma conversa ajuda a criar uma relação de confiança. Estar desapegado e não colocar o seu ego na comunicação é também se colocar em contato com o outro, seja o que for aquilo que tem a nos  dizer, por mais que não haja uma identificação.

Colocar-se em confronto traz discussões que podem nos abrir a luz, é um convite para que mediante nossas contradições ou incompatibilidades, fiquemos mais conscientes, a fim de resolver nossas dificuldades interiores. Mas, claro! Nessas horas percebemos se há ou não uma relação de confiança entre os envolvidos, para que reflitamos em cima daquilo que as vezes pode soar contraditório ou tem algum sentido.

Para refletir uma frase do livro Terra dos Homens: “Ser Homem é sentir-se responsável  do  mau que nem parecia vir de Você.” Antoine de Saint Exupery

The meaning of communication

By Thais Rocholi

The etymology of the word communication comes from the Latin “comunicare”, which means to put in common. Communication is an innate process, since from our birth we communicate first through our gestures, our movements (non-verbal communication) and then gradually, through speech and words (verbal communication).

And the distortion between attitude and speech is quite obvious. Do you want credibility? First be yourself. While adapting, finesse, to your interlocutor. Having good manners in communication goes beyond beautiful words, but involves caring for others, especially with what is said to be able to live well in society. Some things that can sometimes make you think that you are being polite or amusing, maybe playful out of time, are actually false good manners.

Be polite and respectful, having decency means that there are rules of education to be observed in certain situations. It is proof that you are a well behaved person. Respecting people is an attitude that touches our interior so that we are seen as people. If you know how to show respect, you also believe in the dignity and worth of each human being, regardless of their behavior.

We all have a real life, which results in encounters, thus, researching Martin Buber who dedicated himself in partnership with Franz Rosenweig (1885-1929) to the translation of the Hebrew Bible into German, he said that “in the beginning is the relationship” .

This means that the principle of the human being is in essence a homo dialogus, which we are unable to achieve without communing with humanity, with creation and with the Creator, because love for humanity leads to love for God and vice versa . The divine Presence participates in every authentic encounter between men and inhabits those who establish a true dialogue, as well contextualized by him:

“The celestial and the terrestrial are linked to each other. The word of one who wishes to speak to men without speaking to God is not fulfilled; but the word of those who wish to speak to God without speaking to men is lost ”.

The dialogue is based on reciprocity and responsibility. Responsibility exists only where there is a real response to the human voice. In the Talmud of the Jewish tradition, we find rules of good education so that there is reciprocity: giving a smile for the opening of good communication, greeting people, not speaking shouting and addressing others kindly.

Knowing how to express yourself correctly is knowing, above all, maintaining simplicity. No offensive, dirty or slang words. If you want to express yourself, have a perfect command of grammar and speech. The secret to achieving this? Read classic books that will reveal everything you need to know about behavior, and especially the Bible. As for self-help, leave quickly, as they only bring ready-made formulas that in the end will bring boredom to an empty life, so you can cultivate yourself being curious and attentive to a good reading, becoming a wise person.

Empathy is at the heart of good communication, if you are attentive to what the other person says, in a deep and disinterested way, without trying to influence the conversation, it means being fully present, and really, someone who knows how to listen to the real needs of the other. Synchronizing your attitudes with the attitudes of the person with whom you are having a conversation helps to create a relationship of trust. Being detached and not putting your ego in communication is also putting yourself in contact with the other, whatever it is that you have to say to us, even if there is no identification.

Empathy is at the heart of good communication, if you are attentive to what the other person says, in a deep and disinterested way, without trying to influence the conversation, it means being fully present, and really, someone who knows how to listen to the real needs of the other. Synchronizing your attitudes with the attitudes of the person with whom you are having a conversation helps to create a relationship of trust. Being detached and not putting your ego in communication is also putting yourself in contact with the other, whatever it is that you have to say to us, even if there is no identification.

Putting oneself in confrontation brings discussions that can open the light for us, it is an invitation so that through our contradictions or incompatibilities, we become more aware, in order to solve our inner difficulties. Of course! At these times, we realize whether or not there is a relationship of trust between those involved, so that we reflect on what can sometimes sound contradictory or make sense.

To reflect a phrase from the book Terre d’Hommes: “To be a Man is to feel responsible for the evil that didn’t even seem to come from You.” Antoine de Saint Exupery

2 comentários em “O sentido da comunicação

  1. Olá Thaís, muito interessante essa reflexão sobre a comunicação. Somos seres criados por Deus para o relacionamento. Não há relacionamento sem comunicação. Realmente é um tema que contagia. Parabéns por duas colocações. Bju

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s